Mensagem

Bem-vindo! Ao lado direito do texto desta página, pode-se observar o líder da matilha "Lupinos de RHER" e uma lista de músicas divididas em categorias que pode escutar enquanto permanece na página. A esquerda, o contador com o número total de visitantes que o líder já recebeu aqui, os lobos membros da matilha (ou seja, os seguidores deste blog) e o arquivo deste blog, que está ativo desde 01/08/2010. Abaixo do conteúdo do blog estão os meus animais de estimação virtuais (por favor, alimente-os). Se gostou daqui, por favor faça parte desta família de lobos inteligentes e nos indique a seus amigos: rherwolf.blogspot.com.

31 de ago de 2010

A linguagem matemática

A matemática é uma maravilhosa área que faz uso de uma linguagem formal e um conjunto de ferramentas que cada vez mais se expande com o objetivo de solucionar problemas generalizados que costumam envolver a lógica (apesar da matemática ser um pouco fechada aos números) e o raciocínio abstrato. Esta expansão ocorre com a obtenção de conhecimentos similar às ciências: a partir de verdades já comprovadas, outras são descobertas (o que impede o uso de conhecimentos falsos).

A diferença é que o início da matemática foi axiomático, enquanto o científico partiu de experimentos e conhecimentos já existentes. Similar às ciências em geral, a matemática possui um conjunto de áreas com regras, propriedades e técnicas. O domínio de uma técnica permite a resolução de problemas cujo modelo é compatível com a mesma e muitas vezes o aprendizado de outra técnica. Isso significa que um bom matemático é aquele que domina tanto a linguagem e a semântica desta maravilhosa área que é capaz de aplicar as habilidades sem desrespeitar as regras impostas. Repare que a matemática é como qualquer área neste aspecto: o aprendizado é uma reação em cadeia, pois o que se aprende agora é o básico do conhecimento futuro.

[Wikipédia] Matemática é a ciência das regularidades.
Segundo esta definição, o trabalho do matemático consiste em examinar padrões abstratos, tanto reais como imaginários, visuais ou mentais. Os matemáticos procuram regularidades nos números, no espaço, na ciência e na imaginação e as teorias matemáticas tentam explicar as relações entre elas.

Muitos não gostam de números, mas é questão de prática e maturidade. A facilidade que eu tenho pode vir do meu passado estudioso ou do meu QI (segundo os testes da internet, está entre 125 e 140, em média 130). Quando eu estudava no ensino fundamental, eu sempre fazia todos os exercícios de todas as disciplinas. Mas não vivia só estudando! Tenho um gosto antigo por jogos eletrônicos e animes, o que me deu um mundo teórico bem nerd. Hoje, eu pouco estudo e muito faço numa prova de Cálculo Diferencial (é um conhecimento de exatas do ensino superior).

[Pitágoras] A matemática é o alfabeto com o qual Deus escreveu o universo.
Não adianta fugir. A matemática está por toda a parte no universo inteiro!
Tudo o que podemos fazer é dominá-la... ou, pelo menos, aceitá-la.

Faço faculdade de Ciência da Computação e tenho interesse pelas áreas de Matemática Computacional e Otimização (que também envolve conhecimentos de lógica matemática). Mais tarde, farei um postagem que revela a verdade dos cursos de computação com o objetivo de mostrar o fato desta área não ser tão insana a ponto de merecer o preconceito das pessoas que a desconhece e nem deseja estudá-lo por horror.

Lembre-se que o conhecimento de matemática baseia-se em linguagem, imaginação e ordem. Se puder raciocinar, aprender uma nova maneira de expressar ideias e respeitar regras, na certa pode-se estudar exatas.

Basta querer.

15 de ago de 2010

Paradoxo, um mistério lógico

Quem entende a fundo de lógica sabe que costumamos classificar argumentos como verdadeiros ou falsos, mas há situações em que não podemos fazê-lo. Era como se faltasse o "terceiro excluído" (não podemos recorrer a ele). De certa forma, um paradoxo é caracterizado pela contradição que ocorre entre os argumentos ao considerá-los verdadeiros ou falsos. Seja como for, existem infinitos paradoxos. Qual é a realidade destes problemas de exemplo?

1 ) Paradoxo do barbeiro (essa é clássica). Numa aldeia de Sevilha, o barbeiro fez uma promessa a um santinho. Serei bom e barbearei a todos nesta aldeia que não se barbeiam. Mas somente eles. Mas ele pode se barbear? De fato, o barbeiro é um aldeão, logo barbear-se faz com que o barbeiro barbeie quem se barbeia. Por outro lado, se ele não se barbeia, está deixando de barbear quem não se barbeia. Que situação delicada... e aí, santinho, o quê ele faz?

2 ) Paradoxo do Mal X Deus.
É impossível o mal existir se Deus é bom, onisciente e onipotente.
2A ) Se Deus é bom e onisciente, sabe como e ainda quer acabar com o mal. Apenas falta ele ser capaz de fazê-lo. Será Deus onipotente nessa hora?
2B ) Se Deus é bom e onipotente, quer e pode fazer o que é preciso contra o mal. O problema é saber o que precisa ser feito. Será Deus onisciente?
2C ) Se Deus é onisciente e onipotente, sabe como acabar com o mal e pode fazê-lo. Mas se ele for mal, não o fará. Será Deus bom o suficiente para isso?
Se existe o mal no mundo, como pode existir um Deus com estes três atributos?

3 ) Paradoxo da onipotência, tentando quebrar crenças religiosas. Não existe onipotência, logo um Deus onipotente. Por quê? Quem é capaz de quebrar uma lei científica inquebrável? Se Deus não pode criar uma rocha que ele mesmo não pode levantar, acabou! E se ele pode? Aí, ele não pode levantar a rocha. E sabe da história do "raio não cai no mesmo lugar"? Bem, é impossível obedecer a esta lei fazendo um segundo raio cair no mesmo lugar. Óbvio, não? Mas se Deus comanda os raios, como ele contorna a lógica e mantém-se capaz de tudo? Então... será que a onipotência existe? Estes são argumentos fortes.

Repare que os paradoxos anteriores partem de premissas inválidas. A promessa do barbeiro é impossível! Eis um evento enlouquecedor. Os outros dois vêm de argumentos que ninguém provou logicamente. Este quarto é mais simples: "Esta frase é falsa". Ou "Eu sou mentiroso". Como classificar estes argumentos? Que paradoxos mais simples...! O problema é que... não sabemos que argumento inválido deu origem. Só se pode dizer que a validade da premissa é 100% desconhecida.

Existem vários paradoxos famosos na história do mundo. Basta pesquisar um pouco e encontrará estas assustadoras contradições. Eles surgem mais nas áreas da filosofia e da matemática, principalmente porque uma das formas de provar que um argumento é falso (o que aparece aos montes nestas áreas do saber) é mostrar que sua validade gera um paradoxo.

Observação: 0=1, 1=2, 47=96... não são paradoxos, e sim falsidades.
Eu provo a falsidade de qualquer argumento que diz que estes são paradoxos!
Mas eu não entendi aquele paradoxo que diz que os cavalos têm a mesma cor.

E então?
Não é apocalíptico pensar que o mundo está envolvido em paradoxos?
Será que existem paradoxos que não surgiram de uma falsidade?
Afinal, qual é a verdade e qual é a mentira neste mundo...?!

7 de ago de 2010

Semana inteligente concluída

Reservarei este post para dar uns avisos e fazer umas propagandas. Já aviso que realmente há áreas do saber em que me destaco, mas não tenho um conhecimento aprofundado de tudo que posto neste blog. Há vezes que eu não sei se é verdade e posto como teoria para você pensar e talvez criticar e corrigir.

O que posto no blog são simplesmente conhecimentos que costumamos não parar para pensar, pensamentos incomuns e a minha opinião sobre algumas áreas do saber que me fascinam. Na certa, desejo revelar somente conteúdo que tenha caráter intelectual. Não desejo expor futilidades.

Ainda assim, não pense que o que faço é perda de tempo. Tudo o que posto aqui é fruto da minha imaginação e significa que eu racioninei para fazer algo. Logo, pode-se pensar que este é um blog que ensina o leigo a pensar e tirar conclusões (sem se apegar a idéias não comprovadas), desenvolvendo o nível lógico e intelectual. Raciocínio é uma virtude que venero!

Como exemplo, eu não entendo de astronomia. Ainda assim, fiz dois posts sem bases em conhecimentos avançados. Digo que eu pensei sobre o assunto e demonstrei sinais de raciocínio. Tenho um colega que entende de astronomia, logo possui conhecimento. Raciocínio e conhecimento são ótimas virtudes. Este mesmo colega fez um blog sobre astronomia.

Há coisas corretas e erradas que posto no blog sobre variados assuntos. Se você admira a minha maneira de pensar, fico feliz e agradeço. Se quer entender mais sobre o assunto, te apóio para pesquisar (uma boa fonte para astronomia é o blog que apontei). Se já entende, faça um comentário no post e engrandeça o nosso arsenal de idéias.

Resumindo, o meu objetivo é mostrar o poder da mente humana e da lógica.
Não entendo muito de algumas coisas, mas procuro usar o senso crítico.
Sejamos lobos pensadores. Querem mais filosofias? Aguardem...


Agora, vai uma lista de blogs legais de meus amigos:

http://quasemisturado.blogspot.com/ misturando varias coisas


A partir de agora, os meus posts serão eventuais. Espero que tenham gostado dos posts diários da primeira semana. Agradeço a quem me ajudar na divulgação deste blog. Se quiser divulgar o meu blog, utilize este código HTML para o banner.


<a href="http://rherwolf.blogspot.com" target="_blank"><img src="http://i.imgur.com/Hh5rs.gif" alt='blog de lobo para lobo, conscientizando e compartilhando muita experiência de vida e ideologia.' border=0 /></a><br /><a href="http://rherwolf.blogspot.com/2010/08/lealdade-mae-gaia.html">Seja um lobo pensador também!</a>


Esta é a interpretação do HTML:
blog de lobo para lobo, conscientizando e compartilhando muita experiência de vida e ideologia.


Obrigado!
Boa noite.

6 de ago de 2010

Equação de Drake

Este texto está baseando no do Wikipédia. Achei engraçado. Esta equação foi formulada por Frank Drake com o objetivo de estimar o número de civilizações extraterrestres que poderiam comunicar-se conosco. É uma viagem incrível...!

A equação está baseada num produto que utiliza princípios de probabilidade e subconjuntos. Foi criticada pela falta de detalhes avançados (realmente enlouquecedores) como a possibilidade das civilizações fazerem viagens intergalácticas para colonizar. Que papo mais nerd, não é?

Eis a equação:
N = R . p . E . l . i . c . L
Somente "R" e "L" possuem unidades de medida.
As variáveis em maiúsculas são grandezas.
As variáveis em minúsculas são frações.

N = (número aproximado de civilizações em nossa galáxia que têm condições de se comunicar com os terráqueos)
R = (taxa de formação de estrelas em nossa galáxia, medida como frequência)
p = (probabilidade de uma estrela qualquer ter planetas em órbita)
E = (número médio de planetas num sistema solar com condições de vida)
l = (probabilidade de um planeta com condições realmente desenvolver vidas)
i = (fração de planetas habitados que desenvolveram vida inteligente)
c = (probabilidade da civilização ter condições e desejo de comunicar-se)
L = (tempo de vida médio da civilização)

Estes foram os valores estimados por Frank Drake a base de pesquisas:
R = 7/ano > > > > > > > > > > > [não sei se realmente é possível estimar]
p = 50% = 1/2 > > > > > > > > > [viagens espaciais podem permitir a estimativa]
E = 2 > > > > > > > > > > > > > [acho um número bem razoável]
l = 33% = 1/3 > > > > > > > > > [não sei... parece bom, mas sei lá...]
i = 1% = 0,01 > > > > > > > > > [de onde tirou isso? da cabeça?!]
c = 1% = 0,01 > > > > > > > > > [pior ainda]
L = 10.000 anos > > > > > > > > [ . . . ]

Com isso, aproximou-se "N = 2,3". Entendeu a idéia? Considerou-se que a cada 4.350 anos (aproximadamente) há o surgimento de uma civilização que estabeleceria comunicação conosco e que a civilização desaparece em cerca de 10.000 anos. Mas a nossa desaparecerá em quantos anos? Seja como for, nada foi provado. Pura conjectura.

Eu acho engraçado. Como pode acreditar tanto nesses números? Na verdade, eu acho loucura pensar que está estimando bem os valores. Há variáveis que realmente podemos estimar com muito esforço, mas aquelas probabilidades...

Ainda assim, valeu a tentativa.
COMENTEM...!!! ^^

5 de ago de 2010

A psicologia sagrada

Eu já falei da possibilidade do Pai celestial ser o que realiza o movimento de todo o universo e revelei o fato de que podemos pensar até os limites da nossa criatividade e noção de lógica em relações entre esta idéia e as virtudes divinas, indicando ponteiros que voltam-se para tal teoria. Ainda assim, há vezes que nos encucamos ao pensar em argumentos para certos preceitos. Por exemplo, como um quase infinito lote de energia poderia nos amar?

Questão de argumentação.
Vou comentar um pouco sobre isso. Eis a minha opinião em alguns pontos.

O amor de Deus tem uma gigantesca evidência: sem energia, não há vida. Tudo que compõe a ecologia depende do toque Dele. Se ele quisesse, não forneceria o que precisamos e deixaria o mundo sem energia, sem movimento, sem vida. A graça do mundo para o Senhor está na beleza da vida.

Mas se há vida, há morte! Se há movimento, há violência! Se há livre arbítrio, há caos! Realmente, não teria graça se Deus interviesse em tudo. Deve-se levantar e andar sem depender de milagres. Por isso, raramente há intervenção divina. Isso gera maldade, o que é contra a beleza da vida que Ele criou e sustentou. Por isso, o Ser que está no céu "chora" (conotativamente).

Por falar nisso, por que Deus está no céu? Teoricamente, ele é onipresente. Bom, se está em todos os lugares, é claro que também está no céu! E mais: se a integração de toda a energia que existe compõe o Ser divino e a Terra é um minúsculo ponto do espaço com uma mínima fração da energia, é claro que no céu há muito mais energia, logo há muito mais Deus lá fora do que entre nós.

Saiba que a energia segue as leis científicas. Isso significa que o maior cientista e arquiteto que já existiu é o nosso Criador, já que ele é dono de toda a ciência e construiu tudo o que há por aí. Será que há muito o que comentar sobre a onisciência dele? Rapaz, Deus é o cara! Sabe tudo porque criou tudo. Conhece a sua criação mais que ela mesma de tanto observá-la.

E as punições? Dizem os espíritas que existem manifestações de boas energias (partes de Deus que funciona com bondade) e energias negativas (que são usadas por seres iludidos, que causam dor sem motivo) e, quando alguém gera uma energia negativa, o sistema de reações em cadeia (que dependem do funcionamento das leis estudadas pela ciência) faz com que esta energia retorne a sua origem, devolvendo a ação como reação. Uma analogia é a lei física da ação e reação das forças, mas esta envolve energia e a propagação é mais complexa. Na verdade, nem eu entendo... mas Deus não tem culpa.

Gostou?
Que tal brincar de pensar também?

4 de ago de 2010

Teoria estranha a respeito do universo

É claro que meros mortais não viram o universo surgir. Afinal, será que ele surgiu? Será que existiu algo antes dele? E se o universo não aguentar a pressão, pra onde tudo vai parar? Temos o direito de acreditar (ou desacreditar) em teorias, afinal elas podem ou não ser verdadeiras pelo fato da realidade ou falsidade não ter provas. Ainda assim, há alguns conceitos que nos levam a idéias aparentemente válidas.

Falando nisso, eu pensei em uma nova teoria. Uma bem engraçada. Já pensou se todos os eventos no universo se repetissem indefinidamente? Uma história de bilhões (ou mais) de anos começa a se repetir numa constante (e pequena) frequência. Será possível? Ninguém irá provar que é verdade (eu acho...), mas dá para reunir argumentos que revelam a possibilidade. Está curioso?

Como discutido no tópico anterior, a teoria do Big-Bang está baseada na ação da lei da gravitação universal (o universo está encolhendo em consequência da atração das massas). Há um centro que atrai toda a matéria e cada vez mais ganha massa, gerando uma força gravitacional cada vez maior. Será que o Big-Bang não tem "tanto uma cara de início quanto de fim do universo"?
 
A partir da explosão, acarretada pela absorção de tudo no universo, este "tudo" continuou se reunindo da mesma maneira que fazia antes. No dia que o universo inteiro estiver bem concentrado novamente, o buraco negro estará bem forte, com muita matéria, energia, pressão e possibilidade de explodir novamente, formando um ciclo universal.
 
Isso permite concluir que a teoria do Big-Bang nos leva a uma repetição infinita. Parece que o universo aguenta bastante explosões, não é? Podemos fantasiar ainda mais: caso a próxima explosão ocorra exatamente da mesma maneira que a última, com um princípio similar à indução matemática pode-se crer que o universo vive andando em círculos, repetindo tudo o que ocorre em cada parte do universo infinitas vezes. Em pensar que nós já nascemos várias vezes de nossas mães... estranho, não? Na certa, é muito para a nossa sanidade...
 
Mas qual é a probabilidade desta explosão imitar a última tão perfeitamente? Parece uma gigantesca coincidência. Ainda assim, talvez muitas explosões ocorrem (quem sabe muitas mesmo, já que o espaço tem tempo) até que alguma anterior se repita, definindo um ciclo completo (entre infinitos).

Pensar numa possível realidade nos gera muitas possíveis idéias (estranhas).
Talvez o tempo seja realmente infinito, tanto o passado quanto o futuro.
Mas o universo tem um limite espacial definido na explosão.
Afinal, a partir dela não é possível ganhar mais espaço.
O universo encolhe! Aquela é a definitiva fronteira.
É caótico acreditar que estamos presos a isso.
Mas será mesmo essa a realidade?!
Você enxergou a lógica?

3 de ago de 2010

A validade da teoria do Big-Bang

Todos nós já ouvimos falar da, provavelmente, "furada" teoria do Big-Bang. Quem nunca ouviu no ensino fundamental? Ela diz que as massas foram se reunindo em um ponto do universo chamado "buraco negro", mas de tanta massa e energia concentrada houve uma reação que espalhou a matéria por várias partes. Complicado acreditar nisso, mas sei lá.

Se esta for a verdade, o universo surgiu de uma explosão que gerou uma bagunça bem caótica. Na certa, o universo foi se modificando a partir de menores reações, porém possivelmente em cadeia. Isso seria um conjunto de eventos que constrói a história do universo. Mas há algo lindo nesta história...

Quem conhece a lei da gravitação universal?

Dois corpos têm uma estranha tendência a se aproximarem, como se estivessem carregados eletricamente. Mas esta gravitação não tem envolvimento de campo elétrico, mesmo que seja similar. No lugar das cargas, usam-se suas massas. Também tem a proporção inversa ao quadrado da distância deles. A constante também é diferente. Resumindo, há uma fórmula parecida com a de elétrica que se refere à força de atração gravitacional de dois corpos, pouco visível no nosso dia-a-dia.

É isso que gera a gravidade na Terra, nos planetas, astros e tudo mais. Quanto mais massa e menos tamanho, maior é a força da gravidade de um planeta. Inclusive, sabe-se que até entre os corpos do espaço existe a gravitação (é isso que faz os planetas deste sistema solar mover-se em torno do sol). De fato, há leis que mal podem ser observadas no mundo, pois este planeta é restrito a condições que as tornam pouco influentes. Mas lá fora a coisa é diferente e a gravitação é muito impactante.

Pode ser que em volta do universo exista um vazio, mas o que está nele tem um centro de massas que não muda (afinal, não há nada externo ao universo). Isso nos leva a crer, instintivamente, que o buraco negro estava naquele ponto. Por que não? Isso é lógico! O buraco negro reuniu muita massa e começou a juntar o que estava fora com cada vez mais intensidade. Quando toda a massa esteve na vizinhança do centro de massas do universo, o que havia lá fora era o nada. Nenhuma força externa mudou o centro de massa.

Finalmente, encontramos uma argumentação que faça esta lei parecer verdadeira. Na certa, a gravitação permitiu a reunião destas massas. A única coisa que não entendemos é como houve a explosão. Pode-se pensar que havia muita matéria no ponto, gerando muita densidade e pressão, e ainda havia muita energia lá. Há reações químicas poderosas que ocorrem com muita pressão e calor (energia interna). Logo, pela presença de várias possíveis substâncias, variadas reações ocorreriam e causariam a explosão.

Então, você acredita na teoria do Big-Bang?
Particularmente, não sei se acredito, mas sei que ela tem lógica.

2 de ago de 2010

Já pensou em Deus logicamente?

Na certa, não existem provas concretas a respeito da existência ou inexistência de Deus. Tudo que temos é a fé e os testemunhos de eventos milagrosos. Ainda assim, experimentos não provam que há um ser maior que lidera a vida e a ama mais do que qualquer coisa. Hoje, existem pessoas que acreditam na existência, mas também há os que não acreditam. Mas... e eu?

Bem, eu acredito sim na existência. Inclusive, posso não saber toda a verdade, contudo tenho o direito de acreditar no que julgo fazer sentido. Talvez pareça loucura, mas eu tenho uma teoria sobre a existência divina e as suas consequências no universo. Se tem interesse, reserve um tempo para analisar...

Sabe-se que o Senhor não é material, mas celestial. Cientificamente cremos somente na existência de matéria e energia no universo, mais nada. Se Deus não possui massa, o quê Ele seria? Como muitos acreditam, isto leva a crer que Deus (não só Ele, mas espíritos em geral também) é puramente energia.

Sendo Ele especial, podemos imaginar coisas incomuns. Como o movimento do universo depende da energia que circula nele, milagres dependem dela. Além disso, dizem que Deus está em cada um de nós. Será que não podemos pensar que cada pedaço da energia do universo é parte de um grande ser?

Se parar para pensar, esta teoria faria com que qualquer outra idéia que temos a respeito Dele aparentará ser mais concreta. Onipotência, onipresença, onisciência, eternidade, imortalidade... mesmo que precise de uma complexa linha de raciocínio, qualquer propriedade divina é preservada com a validade desta teoria.

Alguém concorda comigo?

1 de ago de 2010

A lealdade à mãe Gaia

O mundo está aí... veja o que está a sua volta.
Já enxergou? Mesmo...? Se sim, já sabe que o mundo está ruindo.
O capitalismo levou o homem a ignorar a sua origem e as lágrimas de Gaia.


Será ótimo juntar dinheiro. Aproveitar a vida de conforto e luxo.
Quando eu morrer, não terei mais preocupação alguma.
O que importa agora é a exploração e a riqueza!
Pra quê a pureza do ar e das águas...?
Isso não trará perdas imediatas.


Será que eu sou egoísta?
O que terão os que virão ao planeta Terra após a minha morte?
Meus filhos... netos... bisnetos... o que terão além da minha herança?!


A mãe Gaia protege aquilo que é um sistema de reações em cadeia.
Eventos naturais mantêm a natureza, mas nós não provocamos apenas isso.


Gaia sofre a cada infinitesimal de ar poluído.
Gaia sofre a cada mililitro de água de esgoto.
Gaia sofre a cada embalagem de bala largado.

Dói no coração da mãe natureza... dói no meu... dói no seu...
dói em todos nós. Dói até mesmo no nosso assustador destino...!


ESTÁ COMIGO?
Quem é lobo tem que lutar!
Quem quer a vida eterna?

                                                                                                             

A área dos lobos pensadores.
Eis o início de um novo modo de raciocinar.
O blog de quem pensa em tudo de uma forma diferente.